Tag Archives: Filmes

O Pequeno Nicolau

7 set

Ficha Técnica

Título Original: Le Petit Nicolas
Duração: 91 minutos
Classificação: Livre
País de origem: França
Diretor: Laurent Tirard
Roteirista: Laurent Tirard, Grégoire Vigneron, Alain Chabt
Gênero: Comédia / Infantil
Estúdio/Distribuidora: Imovision
Ano: 2009
Lançamento no Brasil: 02 de julho de 2010
Elenco: Maxime Godart, Valérie Lemercier, Kad Merad, Sandrine Kiberlain, François-Xavier Demaison, Michel Duchaussoy

—–

Sinopse

Nicolau leva uma vida pacífica, seus pais o amam e ele tem uma turma de amigos pestinhas para aprontar todas. Mas Nicolau ouve uma conversa entre seus pais, o que o faz acreditar que sua mãe está grávida. Ele entra em pânico e imagina o pior: um irmão caçula! Para escapar desse terrível destino, embarca em uma campanha para mostrar aos seus pais que é indispensável. Mas não dá muito certo. Desesperado, ele decide mudar de tática. Nicolau e seus amigos desastrados surgem com diversos planos, mas tudo muda de figura quando encontram um amigo que acabou de ganhar um irmão caçula e descreve todos os aspectos positivos de ser o mais velho. Transformado, ele corre para os pais feliz por ter um irmão. Mas uma última surpresa aguarda o pequeno Nicolau.

O filme é baseado na séries de livros escritos pelos franceses Goscinny e Sempé.

—–

Minha Opinião

Assisti esse filme no final do semestre passado, na aula de francês. Pelo que a professora falou, os livros “Le Petit Nicolas” são o equivalente francês das nossas revistinhas da Turma da Mônica. Não posso afirmar porque ainda não li Le Petit Nicolas, mas, pelo filme, posso dizer que é mais ou menos isso mesmo.

O filme é inocente (mas não é bobo, que fique bem claro) e engraçado; mostra aquela infância inocente que me parece em grande parte perdida. As crianças hoje em dia parecem já nascer sabendo de tudo, mas na época em que o filme se passa era diferente. O modo como um filho único, acostumado a ser o reizinho da casa, lida com a idéia de ter que dividir os pais com um bebê, oscilando entre desespero e felicidade, é muito bem apresentado no filme.

Uma coisa que as sinopses não dizem, mas que eu acho muito interessante é como a história começa: a professora de Nicolau manda a turma fazer uma redação dizendo o que cada um quer ser quando crescer. A turma inteira começa a escrever imediatamente, mas Nicolau não sabe o que escrever e a professora, ao perceber que ele ainda não havia escrito nada, diz que é “muito fácil decidir o que fazer quando crescer” e ele, em pensamento, responde prontamente que não tem nada de fácil nisso. E é a partir disso que toda a história se desenrola.

Ele é classificado como filme infantil, mas é, na verdade, um filme para a família inteira assistir (todos juntos e com pipoca e brigadeiro, de preferência).

O Último Mestre do Ar

5 set

Ficha Técnica

Título Original: The Last Airbender
Duração: 103 minutos
Classificação: 10 anos (BRA)
País de origem: Estados Unidos
Diretor: M. Night Shyamalan
Roteirista: M. Night Shyamalan
Gênero: Fantasia / Aventura
Estúdio/Distribuidora: Paramount Pictures / Nichelondeon Movies
Ano: 2010
Lançamento no Brasil: 20 de agosto de 2010
Elenco: Noah Ringer, Dev Patel, Nicola Peltz, Jackson Rathbone, Shaun Toub, Aasif Mandvi, Cliff Curtis, Seychelle Gabriel
Produtores: M. Night Shyamalan, Frank Marshall, Kathleen Kennedy, Sam Mercer, Scott Aversano

Tagline

Quatro nações, um destino.

Sinopse

Ar, Água, Terra, Fogo. Quatro nações unidas pelo destino até que a Nação do Fogo inicia uma guerra brutal contra as outras. Um século se passou sem que houvesse qualquer esperança de acabar com essa destribuição. Divido entre combate e coragem, Aang descobre que ele é o Avatar, aquele que tem o poder de manipular os quatro elementos. Aang se junta a Katara, uma Dominadora da Água, e ao irmão dela, Sokka, para restaurar o equilíbrio do mundo deles.

Baseado no desenho da Nickelondeon, “O Último Mestre do Ar” é a primeira parte da luta de Aang por sua sobrevivência.

Minha Opinião

Existem filmes que são feitos para uma faixa etária específica, mas acabam agradando a todas as outras, e filmes que só agradam verdadeiramente aquela a que se destinal. “O Último Mestre do Ar” se encaixa na segunda opção. O filme não é ruim, mas também não é excepcional. As charadas são um tanto óbvias e qualquer pessoa com um pouquinho mais de idade (ou mais acostumada a esse tipo de filme) logo entende o que aconteceu e é perfeitamente capaz de adivinhar o que vai acontecer (mesmo que seja segundos antes da cena começar).

Eu assisti em 3D e foi a primeira vez sai do cinema com a impressão de que não fez diferença alguma e que, se tivesse visto em 2D, a “experiência” teria sido exatamente a mesma. Infelizmente, as cenas nas quais o 3D teria feito diferença e talvez até mesmo dado mais emoção ao filme não foram bem aproveitadas nesse aspecto. De qualquer modo, eu gostei das cores: são fortes, mas não excessivamente brilhantes.

O filme foi baseado no desenho “Avatar” (e aproveito a deixa para confessar que, logo que começaram a divulgar Avatar – o filme do James Cameron – eu achei que seria a adaptação do desenho), mas como nunca assisti o desenho, não posso dizer se a adaptação foi bem feita, mas preciso elogiar o fato de que, apesar da possibilidade de uma continuação, o filme realmente acaba. Não é aqueles filmes que parece que cortaram a história pela metade de qualquer jeito e você fica se perguntando pelo resto do filme quando a tela do cinema fica preta e os créditos começam. Não. O final deixa espaço para a continuação sem parecer inacabado.

—–

Trailer | Site Oficial

Salt

26 ago


Ficha Técnica

Título Original: Salt
Duração: 100 minutos
Classificação: 14 anos
País de origem: Estados Unidos
Diretor: Phillip Noyce
Roteirista: Kurt Wimmer
Gênero: Ação / Suspense / Policial
Estúdio/Distribuidora: Sony Pictures
Ano: 2010
Lançamento no Brasil: 30 de julho de 2010
Elenco: Angelina Jolie, Liev Schreiber, Chiwetel Ejiofor, Daniel Olbrychski, August Diehl, Daniel Pearce, Hunt Block, Olek Krupa, Corey Stoll, Cassidy Hinkle
Produtores: Lorenzo di Bonaventura, Sunil Perkash, Ric Kidney, Mark Vahradian, Ryan Kavanaugh

—–

Taglines

Who is Salt? / Salt Kills. / Don’t Trust Salt. / Salt Must Die. / Salt Will Not Be Stopped.
Quem é Salt? / Salt Mata. / Não Confie em Salt. / Salt Deve Morrer. / Salt Não Será Parada.

—-

Sinopse

Evelyn Salt interroga um desertor russo, Orlov, que lhe conta sobre o “Dia X”, uma operação organizada por um russo poderoso desde a Guerra Fria e que levará à destruição dos Estados Unidos. Orlov diz que, durante o funeral do vice presidente americano em Nova York, o presidente russo, que estará na cidade para prestar sua última homenagem ao amigo, será assassinado ela espiã russa chamada Evelyn Salt. Salt, abalada pela acusação, tenta entrar em contato com seu marido, Mike, um aracnologista alemão, temendo pela segurança dele. Enquanto isso, Orlov escapa, fazendo com que Salt também escape, o que leva a CIA a pensar que ela é mesmo uma espiã. Ela vai até seu apartamento e descobre que seu marido desapareceu. Salt pega e empacota algumas coisas essenciais e uma aranha venenosa. Após escapar por pouco de uma perseguição na rodovia, Salt pega um ônibus para Nova York. Na manhã seguinte, ela entra na muito bem protegida Igreja de São Bartolomeu onde está acontecendo o funeral do vice vice presidente e atira no presidente russo. Ela então encontra Peabody e se entrega, mas depois foge da Polícia de Nova York.

Uma série de flashbacks mostra Salt crescendo na União Soviética, onde Orlov ensinou a ela e a muitas outras crianças a obedecê-lo e se infiltrarem no governo americano. Então, quando chegasse o Dia X, ele os comandaria para atacar de vários locais diferentes nos Estados Unidos. Salt se encontra com Orlov, que a congratula pelo assassinato. Ele a leva para uma barcaça no rio, onde testa a lealdade dela ao mandar outro agente matar Mike na sua frente. Salt parece não ter se abalado por isso, passando pelo teste de Orlov. Em seguida, ele a informa sobre a Parte Dois do Dia X, que envolveria o roubo do arsenal nuclear americano. Salt, que havia ido até Orlov apenas para descobrir seus planos, mata Orlov e todo mundo a bordo da barcaça. Então, ela vai ao encontro marcado por Orlov com um agente duplo da OTAN.

O Agente duplo da OTAN e uma Salt disfarçada vão para a Casa Branca. Uma vez dentro do recinto, seu parceiro da OTAN começa a atirar nos agentes do Serviço Secreto e detona uma bomba. O Serviço Secreto, junto com o Winter, levam o presidente americano ao abrigo subterrâneo da Casa Branca. Enquanto isso, o presidente, acreditando que a russa está preparando um ataque nuclear contra os Estados Unidos, começa a lançar os códigos da Bola Nuclear*. Salt se infiltra no esconderijo e mata os seguranças. Winter pega uma arma e mata todos, menos o presidente, que ele deixa inconsciente.

Ele explica a uma Salt espantada que ele sempre fora parte dos planos de Orlov. Winter usa a Bola Nuclear para iniciar a sequência para o lançamento de mísseis nucleares em Terãa e Meca. Salt pede a Winter que a deixe entrar no recinto, mas antes que ele abra a porta, um noticiário na TV revela que o presidente russo não está morro, mas que apenas havia sido colocado num estado de quase-morte pelo veneno de uma aranha. Ele descobre que Salt não está do seu lado, mas ela consegue entrar e, após uma luta intensa, ela consegue vencê-lo. Logo que ela consegue abortar o lançamento dos mísseis iniciado por Winter, agentes invadem o lugar e a prendem. Winter fica livre, mas, posteriormente, Salt usa as correntes dela para estrangulá-lo.

Salt é colocada em um helicóptero com Peabody e explica tudo a ele. Um cético Peabody finalmente aceita que ela está falando a verdade após receber uma mensagem de texto em seu celular informando que as impressões digitais delas haviam sido encontradas na barcaça, confirmando a traição dela a Orlov. Os dois sabem que existem outros agentes duplos infiltrados e Peabody concorda em deixá-la escapar para que ela possa encontrá-los e matá-los. Ele solta as algemas de Salt e ela pula no rio, livre novamente.

*”Bola Nuclear” (Nuclear Football) é uma pasta preta com o computador que dá, ao presidente dos Estados Unidos, acesso ao arsenal nuclear de seu país.

—–

Minha Opinião

Eu gostei bastante do filme. Eu gosto muito de filmes que tratam de conspiração (internacional ou interna, tanto faz), ação, suspense e todas as coisas nesse gênero. Não é nenhum SUPER FILME que você sai do cinema pensando “Nossa, que filem perfeito”, mas é legal e o fim dele deixa a possibilidade de uma sequência (embora eu não seja muito a favor dessa idéia). Me lembrou bastante a série Bourne (Identidade, Supremacia e Ultimato) e 24 Horas, então, quem gosta dessas duas coisas provavelmente vai gostar de Salt.

—–

IMDB | Trailer | Site Oficial

Como Perder um Homem em 10 Dias

24 jul

Ficha Técnica
Título Original:
How To Lose a Guy in 10 Days
Duração: 116 minutos
Classificação: 12 anos
País de origem: Estados Unidos
Diretor: Donald Petrie
Roteiristas: Kristen Buckley, Brian Regan, Burr Steers (Baseado no livro de Michele Alexander e Jeannie Long)
Gênero: Comédia romântica
Estúdio: Paramount
Distribuidora: UIP
Ano: 2003
Lançamento no Brasil: 25 de abril de 2003
Elenco: Kate Hudson, Matthew McConaughey, Kathryn Hahn, Annie Parisse, Adam Goldberg, Thomas Lennon, Michael Michele, Shalom Harlow, Robert Klein, Babe Neuwirth, Samantha Quan, Justin Peroff, Celia Weston, James Murtaugh, Archie MacGregor
Produtores: Robert Evans, Christinie Forsyth-Peters, Elizabeth Joan Hooper, Lynda Obst, Robin Guthrie Prybil, Richard Vane, Brian Alexander

—–

Sinopse
Benjamir Barry é um executivo publicitário que está competindo com duas colegas de trabalho para uma grande campanha de uma loja de diamantes. Ele faz uma posta com suas concorrentes de que, se ele conseguir fazer uma mulher (que elas escolham) se apaixonar por ele em dez dias, a campanha será dele. A escolhida foi Andie Anderson, responsável pela coluna “Como” de uma revista famosa, que, por sua vez, está escrevendo uma história sobre como perder um homem em dez dias como parte de um acordo com sua chefe para conseguir escrever matérias mais séries. Sem que um saiba o que o outro está fazendo, eles conseguirão cumprir suas partes nos acordos?

—–

Minha Opinião
Eu ADORO esse filme. É uma das minhas comédias românticas favoritas! Quando eu assisti pela primeira vez, parte de mim queria ser jornalista e, por isso, eu me identificava muito com a personagem principal, a Andie (eu queria ser jornalista para ser correspondente internacional ou escrever críticas políticas e sociais, mas morria de medo de acabar em alguma revista adolescente falando o quão bonito era um cara que nem mesmo era bonito), deve ter sido por isso que eu gostei tanto do filme. Mas, o fato é que, mesmo que na época eu já tivesse certeza absoluta do que eu quero ser (que não é jornalista), eu teria adorado o filme porque é muito bom. Como já faz um bom tempo que eu assisti (nota pessoal: lembrar de assistir novamente esse filme!), eu não lembro de todas as cenas com exatidão, mas sei que quase morri de rir na cena do álbum: ela faz um álbum com fotos dela e do Ben e com os “filhos” dele (ela faz aquelas montagens no computador usando fotos dos dois) e mostra para a mãe dele e depois mostra pra ele. Tem muitas cenas engraçadas além dessa também: quando ela o faz ir comprar refrigerante nos últimos minutos do jogo e ele perde os “pontos” da vitória (não lembro mais o esporte); quando ela chega no apartamento enquanto ele está jogando com os amigos e fica fazendo ceninha. A questão é que tudo que ela faz para irritá-lo, ele releva por causa da aposta e ela vai “piorando” as táticas, mas não tem jeito. Cenas que eu acho muito bonitas são as da Andie com a família do Ben, quando eles viajam para a casa dos pais dele. São muito fofas. O final (feliz, obviamente) é bem lindo e fofo também.

—–

IMBd | Trailer | Site Oficial

A Verdade Nua e Crua

20 jul

Ficha Técnica
Título Original: The Ugly Truth
Duração: 97 minutos
País de orgem: Estados Unidos
Diretor: Robert Luketic
Roteiristas: Nicole Eastman, Karen McCullan Lutz e Kristen Smith
Protudores: Steven Reuther, Kimberly di Bonaventura e Deborah Jelin Newmyer
Gênero: Comédia romântica
Estúdio: Columbia Pictures
Distribuidora: Sony Pictures
Lançamento: 18 de setembro de 2009
Elenco: Katherine Heigl, Gerard Butler e Eric Winter

—–

Sinopse
Abby é a produtora de um programa matinal com problemas de audiência em Sacramento. Ela é boa no que faz, mas o público simplesmente não está interessado nos âncoras ou em qualquer outra pessoa no programa. Seu chefe, Stuart, diz que se a audiência não aumentar logo, o show será cancelado. Afinal de contas, eles podem conseguir mais audiência re-exibindo Geraldo Rivera por um custo muito menor.

As coisas também não vão bem na vida pessoa de Abby. Sendo uma controladora, ela quase sempre espanta os homens nos primeiros minutos e foi exatamente isso que aconteceu com Jim depois de marcarem o encontro através de um site de relacionamentos. Abby pediu que sua assistente Joy pesquisasse o passado dele, de modo que ela já sabia tudo que era preciso saber sobre o cara, o que causou alguns momentos constrangedores.

Após voltar para casa naquela noite, Abby ligou a TV e seu gato, ao pisar no controle, mudou para um canal onde estava passando um programa chamado “A Verdade Nua e Crua”. Apresentado pelo estúpido Mike Chadway, o programa dava oferece conselhos amorosos a mulheres, geralmente citadas por Mike nos termos mais rudes possíveis. Na verdade, Abby fica tão horrorizada com o que escuta nos primeiros minutos do programa que ela liga para lá apenas para dizer a Mike que é o canalha cínico, ao que ele simplesmente responde dizendo que ela deve estar ofendida por ser feia. Abby desliga o telefone na cara dele.

Para o horror dela, ao chegar ao trabalho no dia seguinte, ela descobre que Stuart contratou Mike para uma participação diária de 3 minutos no programa dela. Stuart está convencido de que isso aumentará os índices de audiência, mas Abby tem certeza que isso será um grande erro. Mike foi ótimo, o que não era surpresa alguma, mas ele e Abby começaram a brigar praticamente no minuto em que se conheceram. Ela confessa ter sido ela a ligar para o programa dele na noite anterior e Mike diz que vai ajudá-la a conquistar o homem dos sonhos dela, Colin, apenas para provar que seus conselhos estão certos. Abby concorda relutantemente.

O resto do filme se passa em duas linhas básicas: Mike e Abby se unindo para conquistar Colin, como história principal, e a nova vida de Mike no programa matinal como história secundária. Sendo uma comédia romântica, é praticamente lei que o casal de protagonistas termine juntos, então, obviamente, Mike e Abby perecebem que sentem alguma coisa um pelo outro e ficam juntos nos últimos minutos do filme.

—–

Minha Opinião
Sabe aqueles filmes que a pessoa vê o trailer e fica LOUCA para que sejam logo lançados? Pois bem, “A verdade nua e crua” foi um desses filmes para mim. Adorei desde a primeira vez que vi o trailer e fiquei e corri pro cinema assim que soube que tinha estreado. Confesso que sempre tenho medo quando gosto demais do trailer de um filme porque as chances de me decepcionar são mais altas, mas não foi o caso. O filme não me decepcionou. Tudo bem que não há nada de super inovador na história e que, assim como 99,5% das comédias românticas, tem o final feliz óbvio do casal que se odeia descobrindo que se ama e vivendo felizes para sempre, mas nem por isso a qualidade do filme é menor. Se fosse assim, toda comédia romântica seria um horror. O fato é que o filme é MESMO engraçado: não há aquele humor forçado que você ri sem saber exatamente porque está fazendo aquilo. Sem falar que, por mais caricatos que os personagens possam ser, eles são bem reais. É, sem dúvida alguma, um dos meus filmes favoritos!

—–

IMDd | Site Oficial | Trailer

Cartas para Julieta

17 jul

Ficha Técnica
Título original: Letters to Juliet
Duração: 105 minutos
País de origem: Estados Unidos
Diretor: Gary Winick
Roteiristas: Jose Rivera & Tim Sullivan
Gêneros: comédia, drama, romance
Estúdio: Summit Entertainment
Distribuidora: Paris Filmes
Lançamento: 25 de abril de 2010 (EUA) / 11 de junho de 2010 (Brasil)
Elenco: Amanda Seyfried, Christopher Egan, Gael García Bernal, Vanessa Redgrave e Franco Nero

—–

Sinopse
Sophie Hall, uma jovem americana que sonha em ser escritora, viaja para Verona com seu noivo, Victor, para uma “lua de mel antecipada” antes da inauguração do restaurante dele. Chegando lá, os interesses divergem: enquanto Sophie quer conhecer a cidade, Victor quer conhecer a culinária italiana. Decida a conhecer a cidade sozinha, Sophie acaba encontrando um lugar onde as pessoas deixam cartas num muro para que Julieta (do romance de Shakespeare) as ajude, o que acaba levando-a a um grupo de mulheres chamado “Secretárias de Julieta”, que respondem todas essas cartas. Com o noivo cada vez menos interessado na lua de mel (transformando-a numa viagem de negócios), Sophie decide ajudá-las e acaba encontrando uma carta escrita há mais de 50 anos por uma inglesa chamada Claire. Ela decide responder a carta e Claire, ao receber a resposta, viaja até a Itália com seu neto, Charlie Wyman, decidida a encontrar Lourenzo Bartolini, o grande amor da sua vida. Charlie não concorda com a viagem, mas Sophie, além de encantada pela história de amor de Claire e Lorenzo, percebe a potencialidade de publicação daquela história, incentiva Claire a procurar seu grande amor pelo país e pede para ir junto. Para grande desespero de Charlie, Claire aceita a idéia e os dois viajam pela Itália em busca de Lorenzo. Durante a viagem, uma nova história de amor surge, dessa vez entre Sophie e Charlie.

—–

Minha Opinião
Eu adorei o filme. Fazia tempo que eu não assistia uma comédia romântica que girasse em torno de um ROMANCE ao invés de falar de sexo o tempo inteiro (nada contra sexo ou comédias românticas, é só uma observação). Muita gente achou o filme “bobinho” e eu tenho que reconhecer que talvez seja mesmo um pouco bobinho, mas a verdade é que é justamente por isso que eu gostei tanto dele. A história é tão inocente quanto um romance pode ser sem que pareça patético; a trilha sonora é boa (destacando aqui “What If” de Colbie Caillat); o cenário é LINDO (afinal de contas, o filme se passa na ITÁLIA!); o elenco é bom. É um filme leve, para relaxar enquanto assiste (de preferência com brigadeiro, pipoca e refrigerante). Não é o filme do ano nem é a melhor comédia romântica de todos os tempos, mas é um bom filme.

—–

Trailer | IMDB | Site Oficial

%d blogueiros gostam disto: